Rinite alérgica – Tratamento

O tratamento da rinite alérgica inclui a redução da exposição a alérgenos e a outros gatilhos em combinação com a terapia medicamentosa. Na maioria das pessoas, essas medidas controlam os sintomas efetivamente.

1 – Reduzir a exposição aos gatilhos

Existem algumas medidas simples que podem reduzir a exposição a alérgenos e a gatilhos que provocam rinite alérgica. Essas medidas serão discutidas em detalhes em outro post.

Várias classes diferentes de medicamentos combatem a inflamação que causa os sintomas da rinite alérgica. Os melhores tratamentos dependerão dos sintomas e das preferências pessoais.

lavagem_nasal

2 – Irrigação nasal e spray salino

Lavar o nariz com uma solução de água salgada (salina) é chamado de “irrigação nasal” ou “lavagem nasal”. O soro fisiológico também está disponível em um spray nasal.

A irrigação nasal é particularmente útil para tratar a descarga pós-nasal, espirros, secura nasal e congestão. O tratamento ajuda a lavar alérgenos e irritantes do nariz. Irrigação nasal também limpa o revestimento nasal. Os pacientes realizar a limpeza nasal  antes de aplicar sprays contendo medicamentos para obter um efeito melhor da medicação.

A irrigação nasal com solução salina aquecida pode ser realizada conforme necessário, uma vez por dia ou, se os sintomas forem graves, duas vezes por dia. A irrigação nasal possui poucos riscos quando realizada corretamente e com solução salina feita com água esterilizada. Os sprays nasais salinos e os kits de irrigação podem ser comprados livremente. As misturas salinas também podem ser adquiridas ou os pacientes podem fazer sua própria solução.

Podem ser utilizados vários dispositivos, incluindo seringas e frascos de sprays para efetuar a irrigação nasal. Pelo menos 200 ml de líquido (solução salina feita com água destilada ou fervida ou soro fisiológico estéril) é recomendado para cada narina.

spray2

3 – Corticóides nasais

Os corticóides nasais administrados por spray nasal são a primeira escolha de tratamento para os sintomas da rinite alérgica.

Estas drogas têm poucos efeitos colaterais e aliviam acentauadmente os sintomas na maioria das pessoas. Estudos têm demonstrado que os glicocorticoides nasais são mais eficazes do que anti-histamínicos orais para alívio dos sintomas.

Pessoas com rinite grave podem precisar usar um descongestionante nasal por alguns dias antes de iniciar o uso de um glicocorticoide nasal para reduzir o inchaço nasal. Isso permite que o spray nasal possa atingir mais áreas dentro das passagens nasais.

Os pacientes podem observar alívio dos sintomas no primeiro dia de tratamento com glicocorticoides nasais, embora sua eficácia máxima não seja visível por dias ou semanas. Por esta razão, os glicocorticoides nasais são mais eficazes quando usados regularmente.

Como usar um spray nasal ?

Os sprays nasais funcionam melhor quando são usados corretamente e quando a medicação permanece no nariz, em vez de escorrer na parte de trás da garganta. Se o nariz está com crosta ou contém muco, o paciente pode limpá-lo com um spray nasal salino antes de um spray nasal que contém medicação.

A cabeça deve estar posicionada normalmente ou com o queixo ligeiramente abaixado. O spray deve ser dirigido para longe do septo nasal (a cartilagem que divide os dois lados do nariz). Após a pulverização, fungue suavemente para puxá-lo para as partes mais altas do nariz. Evite fungar muito, pois isso pode resultar na drenagem do medicamento para a garganta.

Algumas pessoas acham que segurando uma narina fechada com um dedo melhora a sua capacidade mover o spray para a parte superior do nariz. Cuspa fora qualquer medicamento que vá para a garganta, uma vez que o mesmo não é eficaz a menos que permaneça no nariz.

Efeitos colaterais – Os efeitos colaterais dos esteroides nasais são leves e podem incluir um cheiro ou sabor ligeiramente desagradável ou secagem do revestimento nasal. Em algumas pessoas, os esteroides nasais causam irritação, crostas e sangramento do septo nasal, especialmente durante o inverno. Os pacientes podem minimizar estes problemas reduzindo a dose do esteroide nasal, aplicando um gel nasal hidratante ou pulverizando o septo antes de usar o spray, ou mudando para um spray à base de água (em vez de álcool).

Estudos sugerem que os esteroides nasais são geralmente seguros quando usados por muitos anos. No entanto, se os pacientes usarem esses medicamentos durante anos, eles devem realizar exames nasais periódicos para verificar se há efeitos colaterais raros, como infecção nasal.

Corticóides tomados como comprimido ou inalados para os pulmões podem ter efeitos colaterais, especialmente quando tomados por longos períodos de tempo. Já as doses utilizadas em esteroides nasais são baixas e não estão geralmente associadas a esses efeitos colaterais. Geralmente os clínicos recomendam usar a menor dose eficaz.

O uso de sprays nasais de corticoides pode diminuir ligeiramente a taxa de crescimento em algumas crianças, se usado por longos períodos de tempo. Se uma criança requer um spray de esteroides nasais por mais de dois meses no ano, o responsável deve conversar com seu médico para aconselhamento.

4 – Anti-histamínicos

Os anti-histamínicos aliviam a coceira, os espirros e o corrimento nasal da rinite alérgica, mas não aliviam a congestão nasal. O tratamento combinado com esteroides nasais ou descongestionantes pode proporcionar maior alívio dos sintomas do que o uso de apenas um deles.

Medicamentos orais – Vários anti-histamínicos estão disponíveis há muitos anos sem receita médica. Esses medicamentos geralmente causam sedação e não devem ser usados antes de conduzir ou operar máquinas. Mesmo que os pacientes não se sintam excessivamente sonolentos, estes medicamentos podem ter um efeito sedativo, por isso deve-se ter cuidado ao tomá-los.

Os anti-histamínicos orais menos sedativos incluem loratadina, desloratadina, cetirizina, levocetirizina e fexofenadina. Loratadina, cetirizina e fexofenadina estão disponíveis sem receita médica. Estes medicamentos funcionam bem como os anti-histamínicos sedativos para a rinite, mas são menos sedativos e estão disponíveis em fórmulas de longa duração. No entanto, eles podem ser mais caros.

Sprays nasais – Azelastine e olopatadina são anti-histamínicos nasais prescritos que podem ser usados diariamente ou quando necessário para aliviar os sintomas de gotejamento pós-nasal, congestão e espirros. Estes sprays começam a funcionar poucos minutos após o uso. O efeito colateral mais comum da azelastina é um gosto ruim na boca imediatamente após o uso. Os pacientes podem minimizar isso mantendo suas cabeças inclinadas para a frente enquanto pulverizam, para evitar que o medicamento escorra pela garganta.

Combinações de glicocorticoides nasais e anti-histamínicos – Uma combinação prescrita de fluticasona nasal e anti-histamínico azelastina parece melhorar os sintomas de rinite alérgica melhor do que qualquer droga isoladamente em três ensaios clínicos. A droga de combinação tem os efeitos secundários de ambos quando usada na dose recomendada (um jato em cada lado do nariz duas vezes por dia) e é aprovado para uso em pessoas com mais de 12 anos de idade. Os efeitos colaterais mais comuns são mau gosto, hemorragia nasal e dor de cabeça.

5 – Descongestionantes

Os descongestionantes (como a pseudoefedrina ou a fenilefrina) são frequentemente combinados com anti-histamínicos em antialérgicos orais, sem receita. No entanto, a fenilefrina não é eficaz no tratamento da rinite alérgica.

Descongestionantes orais elevam a pressão arterial e não são adequados para pessoas com pressão arterial elevada ou certas doenças cardiovasculares. Os homens com um alargamento da próstata que têm dificuldade em urinar podem notar um agravamento deste sintoma quando tomam descongestionantes.

Também estão disponíveis descongestionantes sob a forma de sprays nasais, incluindo oximetazolina e fenilefrina. No entanto, estes NÃO são recomendados para o tratamento da rinite alérgica. É melhor usar um medicamento que pode ser tomado com segurança por semanas ou mesmo meses, como um spray de corticosteroides nasais. Os sprays descongestionantes nasais não devem ser usados por mais de dois a três dias de cada vez porque podem causar um tipo de rinite chamado “rinite medicamentosa”, o que faz com que o nariz permaneça constantemente congestionado, levando a um ciclo vicioso em que a medicação é repetidamente. Esta condição pode ser difícil de tratar.

6 – Cromolyn

Cromolyn previne os sintomas de rinite alérgica, interferindo na capacidade de células alérgicas para liberar substâncias químicas naturais que causam inflamação. Esta droga está disponível como um spray nasal sem receita, que deve ser usado três a quatro vezes por dia, de preferência antes dos sintomas terem começado, para efetivamente prevenir os sintomas da rinite alérgica.

imuno2.jpeg

7 – Imunoterapia com alérgenos

Injeções contra alergia ou Imunoterapia – Injeções contra alergia, também conhecidas como “imunoterapia”, são injeções dadas para reduzir a sensibilidade aos alérgenos. As injeções estão disponíveis apenas para alérgenos comuns, incluindo polens, pelos de gatos e cães, ácaros e mofo. (Eles não são usados para tratar alergias a alimentos, látex ou medicamentos.) As injeções contêm soluções do(s)  alérgeno(s) ao(s) qual(is) o paciente é alérgico e são feitos especificamente para o paciente. O processo de imunoterapia altera a resposta imunológica do paciente aos alérgenos ao longo do tempo. Como resultado, estar exposto ao alérgeno provoca menos sintomas e pode até mesmo eliminar sintomas completamente.

A imunoterapia pode ajudar muitas pessoas com rinite alérgica. Em crianças, a imunoterapia pode ajudar a prevenir o desenvolvimento de asma alérgica mais tarde na vida. No entanto, a imunoterapia é relativamente demorada e muitas vezes é reservada para pessoas que têm uma má resposta à medicação ou querem minimizar o número de medicamentos que necessitam a longo prazo. As pessoas inicialmente utilizam medicamentos quando começam imunoterapia e, em seguida, reduzem gradualmente os medicamentos com o melhorar dos seus sintomas.

A imunoterapia é geralmente iniciada por um alergista. O tratamento começa com vários meses de injeções semanais de doses aumentadas gradualmente, seguidas de injeções mensais de manutenção.

A imunoterapia é geralmente administrada por um período mínimo de três a cinco anos. Uma vez que os pacientes param de receber as injeções, os benefícios diminuem gradualmente ao longo do tempo. Em algumas pessoas, isso acontece rapidamente, e em outras os sintomas permanecem melhorados por vários anos. Não é possível prever por quanto tempo o efeito das injeções durará em cada indivíduo.

Injeções de imunoterapia possuem um pequeno risco de uma reação alérgica grave. Estas reações ocorrem com uma frequência de 6 de cada 10.000 injeções. Os sintomas geralmente começam dentro de 30 minutos da tomada da injeção. Por esta razão, os pacientes são obrigados a permanecer no consultório após injeções de rotina para que tal reação possa ser rapidamente tratada. Como drogas chamadas betabloqueadores podem interferir na capacidade de tratar essas reações, as pessoas que tomam betabloqueadores são muitas vezes aconselhadas a evitar a imunoterapia. Se os pacientes estão recebendo injeções contra alergia e outro médico prescreve um medicamento betabloqueador para a pressão arterial elevada ou outra razão, os pacientes devem certificar-se de dizer ao seu clínico de alergia.

Pílulas de imunoterapia colocadas sob a língua – A imunoterapia sublingual é uma forma de imunoterapia que é dada com uma pílula diária que se dissolve sob a língua. A imunoterapia sublingual é administrada todos os dias durante vários meses do ano. A primeira dose é dada no consultório clínico, mas depois disso, os pacientes podem tomá-la em casa. Este tipo de tratamento não envolve injeções e é muito seguro, pois raramente provoca reações alérgicas graves. No entanto, ele só está disponível para alguns tipos de alergias, e se os pacientes se esquecerem de tomar os comprimidos diariamente, o tratamento pode não funcionar.

8 – Outros tratamentos

Outras drogas podem ser recomendadas para algumas pessoas com rinite alérgica.

  • Ipratrópio – A atropina nasal é eficaz para o tratamento de corrimento nasal grave. Este fármaco, disponível como brometo de ipatrópio, não é geralmente recomendado para pessoas com glaucoma ou homens com uma próstata alargada.
  • Modificadores de leucotrienos – A liberação de substâncias chamadas leucotrienos pode contribuir para os sintomas da rinite alérgica. Medicamentos que bloqueiam as ações dos leucotrienos, chamados modificadores de leucotrienos, podem ser muito úteis em pessoas com asma e rinite alérgica. No entanto, os corticosteroides nasais são mais eficazes do que os modificadores de leucotrienos para o tratamento da rinite alérgica. Assim, os modificadores de leucotrienos são geralmente reservados para pessoas que também têm asma ou que não podem tolerar sprays nasais (devido a hemorragias nasais).

 

#Publicado em 2017

Sobre Dr. Rafael Otsuzi

Um comentário sobre “Rinite alérgica – Tratamento

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s