Rinite alérgica na gravidez

for-web-pregnant-woman

As mulheres que têm rinite alérgica antes da gravidez podem ter piora, melhora ou ausência de alterações nos sintomas durante a gravidez. A maioria das mulheres notam alguma congestão nasal nos estágios posteriores da gravidez, mesmo se elas não tiveram rinite antes. Isso é chamado de rinite da gravidez e está relacionado com os níveis hormonais. A rinite da gravidez não responde aos medicamentos e desaparece após o parto. A discussão abaixo aplica-se apenas à rinite alérgica.

Como regra geral, a maioria dos medicamentos deve ser evitada ou utilizada na dose mais baixa que controle os sintomas durante a gravidez. Se as pacientes estão grávidas, devem rever qualquer medicação (liberada ou com prescrição) antes de tomá-la e conversar com seu médico, se tiverem dúvidas. No entanto, vários dos medicamentos utilizados para tratar a rinite alérgica são tidos como seguros.

As mulheres com rinite leve podem ser capazes de controlar os sintomas usando apenas spray nasal salino ou irrigação, os quais não contêm quaisquer medicamentos. Se a medicação para a rinite é necessária durante a gravidez, os seguintes são considerados opções mais seguras:

Spray nasais – Alguns sprays nasais são uma opção sensata para as mulheres grávidas, porque muito menos medicação é necessária para controlar os sintomas quando se é pulverizado diretamente no nariz, em comparação com tomar a mesma medicação por via oral.

  • Sprays nasais de Cromolyn são seguros para uso durante a gravidez. Apenas uma quantidade muito pequena de droga é absorvida na corrente sanguínea e nenhum efeito colateral grave é conhecido.
  • Alguns dos corticosteroides nasais são considerados seguros para uso durante a gravidez, embora existam mais informações sobre alguns medicamentos do que outros. Evitamos a triamcinolona com base em um estudo canadense mostrando que pode haver um risco aumentado de defeitos congênitos respiratórios se usada no primeiro trimestre. Preferimos usar outros medicamentos, como a fluticasona, budesonide ou mometasona, durante o primeiro trimestre.

Anti-histamínicos – Cetirizina, loratadina e clorfeniramina são considerados seguros para utilização durante a gravidez.

Descongestionantes – A pseudoefedrina deve ser evitada durante o primeiro trimestre da gravidez, se possível, porque a sua segurança não foi confirmada. Após o primeiro trimestre, ela deve ser usada somente quando necessária e somente conforme indicado. No entanto, ela não deve ser usada em todas as mulheres com pressão arterial elevada ou pré-eclâmpsia. A fenilefrina deve ser evitada completamente durante a gravidez.

Injeções contra alergia – Se as pacientes já estavam recebendo injeções e não tiveram reações alérgicas no passado, elas podem continuar com segurança durante a gravidez. No entanto, a dose não deve ser aumentada durante a gravidez devido ao risco de uma reação alérgica grave (anafilaxia), que poderia potencialmente reduzir o fornecimento de sangue ao feto. Pela mesma razão, as injeções contra alergia não são iniciadas durante a gravidez.

Um comentário sobre “Rinite alérgica na gravidez

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s